Início Post 1544-cap-14-capitulo-14

1544-cap-14-capitulo-14

Capítulo 14 –
Com minhas palavras, Marie pareceu tocada. Era porque a gestão das finanças frequentemente era atribuída ao subordinado de maior confiança.
“Então vamos antes que seja tarde demais.”
“Sim. Para onde?”
Falei como se fosse óbvio.
“Nós temos que jantar.”
Já que ganhamos dinheiro, agora é hora de comer filé mignon e bolo de morango.
***
“N-Não. Você não tem que vir aqui por minha causa…”
Marie parecia perdida com o bife de lombo de vitela posto à sua frente.
Só para constar, o custo da comida nesse restaurante era de cerca de 30 cena. Considerando que a maioria dos restaurantes servia uma refeição de 1 a 2 cenas, era um restaurante incrivelmente caro.
Ela parecia tão tocada a ponto de ficar arrependida e parecia estar à beira das lágrimas, então cuspi uma breve explicação.
“Não é por sua causa.”
“Então?”
“É porque eu queria comer isso. Eu também gosto de bife de lombo de vitela. E do bolo de morango. Então, não pense muito sobre isso.”
No entanto, parecia que ela não acreditava em minhas palavras. Pelo contrário, ela falou com os olhos molhados de lágrimas.
“Eu vou servir bem à milady de agora em diante. Verdadeiramente.”
“Eu disse que não estamos comendo aqui por sua causa.”
“Eu também estou apenas dizendo.”
Veja isso? Eu ri e perguntei o que tinha em mente.
“Marie, você não acha estranho que eu mudei tão de repente?”
Com a minha pergunta, Marie apertou os lábios. Não importa o quão radiante e pura essa garota fosse, não havia como ela não notar a diferença no meu comportamento.
“É estranho. Mas está tudo bem.”
“Por quê?”
“Porque milady é milady. Além disso, gosto mais da senhora confiante do que da senhora anterior.”
Assim mesmo, Marie sacudiu a cabeça abruptamente.
“Isso não significa que eu não gostava de quem você era antes. É que meu coração doía quando eu observava milady no passado.”
Então ela abriu um largo sorriso.
“De qualquer forma, seja a milady de antes, ou milady agora, eu gosto das duas. Hehe.”
Eu concordei com a cabeça.
À medida que mais comida estava sendo servida, a conversa foi momentaneamente interrompida.
Desta vez, Marie perguntou.
“Mas o que você vai fazer agora, milady? Você continuará atuando como um bardo?”
“Não.”
Eu balancei minha cabeça.
Não queria viver a vida de um músico.
Era difícil ganhar tanto dinheiro todas as vezes, e era necessário que os músicos passassem por um trabalho extremamente árduo em primeiro lugar.
Porque, para ganhar dinheiro como músico nesta época, era necessário subordinar-se a uma família aristocrática e criar arte como uma máquina. Não era diferente com nenhum outro artista, pintor etc.
‘O que devo fazer?’
Eu estava cheia de melancolia.
Só porque eu queria viver como uma preguiçosa, não significava que não pudesse fazer absolutamente nada. Devia haver um meio de comer e viver.
Em vez de reencarnar inutilmente como a princesa de uma família Grão-Ducal destruída, teria sido melhor reencarnar como herdeira de uma quantidade considerável de bens.
‘Primeiro eu preciso ganhar dinheiro. Dinheiro suficiente para que eu possa viver felizmente pelo resto da minha vida.’

Havia poucos empregos que atendessem a essas condições.

Não, havia muitas maneiras para ganhar dinheiro, mas todas exigiam uma quantidade equivalente de trabalho. O único meio de acumular riqueza sem esforço ou trabalho era herdá-la.
‘Criar e vender artefatos mágicos também não funcionará. A menos que eu tenha um motivo justificável, meu uso da magia será estritamente controlado e limitado pelo equilíbrio do mundo.’
Não importa o quanto eu refletisse sobre o assunto, nenhum deles atingia minhas condições.
Todos no mundo queriam ser preguiçosos e apenas comer e brincar, mas, na realidade, mesmo que trabalhassem como formigas, era difícil ganhar o suficiente para comer. Conseguir viver a vida de sedentária era algo de grande dificuldade.
‘Primeiro, vamos resolver o problema de alimentação e quarto, e então eu tenho que encontrar uma maneira de exercer o mínimo de esforço e ficar rica.’
Sempre haverá uma maneira.
Logo, pensei em um método.
“Primeiro, iremos para a cidade da liberdade do Império Ocidental, Renault.”
*****