Início Post 1561-cap-03-capitulo-03

1561-cap-03-capitulo-03

Capítulo 3:

A baronesa ficou constrangida e não conseguiu evitar encará-la,
já que Citrina nunca havia feito essas perguntas antes.

“Eh? É você mesmo, Citrina?”

Ela realmente queria romper os laços com ela.

Ela decidiu se abster de falar tanto quanto possível.

“Ah, deve ser porque você estava doente. Você realmente ficou
melhor. Já que Elena ainda é jovem, você sabe o quanto sua
mãe estava ocupada ultimamente? Elena enviou uma
mensagem que dizia que ela tiraria férias daqui um tempo.”

“… Não há muita diferença de idade entre Elena e eu.”

“Citrina, do ponto de vista da mãe, o caçula sempre será uma
criança.”

O rosto de sua mãe ficou quente quando ela pensou em sua
filha, Elena.

Comparada a seu pai, sua mãe é uma pessoa que tem ‘sentidos
e pensa racionalmente’ até certo ponto, mas por que está
continuamente enterrada nesse absurdo? Nem mesmo
importava se ela ficasse com raiva ou não.

Do ponto de vista de uma terceira parte, toda discriminação e
favoritismo eram aparentes.

“Sim. Deve ser.”

 

O pão esfriou e Citrina perdeu o apetite. Ela não pode evitar
morder seus lábios. Não havia nada a esperar.

“Eu confio em você, minha filha mais velha.”

“Sim. Você pode confiar em mim.”

Já que Citrina disse isso, ela acenou com a cabeça em alívio.

Citrina escondeu o desprezo de seus lábios. ‘Observe
cuidadosamente como você obriga a outra parte a romper seu
relacionamento.’

“Ok, minha filha.”

Citrina se levantou e ignorou a resposta de sua mãe.

Ela usava o xale velho que estava na cadeira, sobre o vestido
esfarrapado com mangas gastas e remendos em algumas
partes.

Quando ela estava se dirigindo para a porta, sua mãe a
interrompeu com um tom um pouco mais alto do que o normal,
“Ah, Citrina.”

Citrina se virou com a pouca paciência que lhe restava. Está
certo. Ela pode querer transmitir algumas palavras gentis à filha,
que está a caminho da casa do duque infame.

“Você não se esqueceu da mensalidade de Elena para a
Academia, certo?”

Mas sua mãe não o fez. Em vez disso, ainda é sobre
Elena. Citrina mordeu os lábios. Em outras palavras, ela estava

 

trabalhando duro como uma camponesa apenas para doar todo
o seu dinheiro suado.

“Ah.”

“Se Elena for bem-sucedida, todo o trabalho duro será
recompensado, então tente um pouco mais e permaneça firme.”
Quando Citrina não respondeu, sua mãe começou a franzir a
testa novamente. Citrina mordeu os lábios. Se sua mãe
quisesse persuadi-la, ela usaria o cartão de ‘boa filha’.

Naquela época, ela amava cegamente essa palavra, mas não
mais, já que dessa vez ela sabia de tudo.

‘Uma querida e boa filha? Mas você ainda quer que eu trabalhe
fora?’”

Mesmo que ela não conhecesse o romance original, havia
rumores terríveis sobre o tratamento dispensado às operárias
daquela casa, além da superstição de que dar à luz gêmeos
fosse uma sorte terrível. Especialmente, uma vez que a magia
transbordante dos irmãos gêmeos tem chances de ficar fora de
controle, as pessoas relutavam em se aproximar deles.

Então, quando ouviram falar de Cetrina, pensaram que estavam
no paraíso.

“Eu vou viver e vou me certificar disso.”

‘Não vou voltar para esta casa.’

Sua mãe apenas sorriu, sem saber o que se passava na mente
de sua filha.

 

Depois de um rápido silêncio, ela finalmente deixou sua mãe
sozinha na mesa, que estava respirando fundo com o rosto
carrancudo.

Não importava mais.

Finalmente, ela tem a chance de conhecer Aron, o protagonista
masculino, e Desian, o vilão.

***

Deixando a mãe para trás, ela subiu na carruagem e se preparou
para ir à casa do duque.

A carruagem estava indo em alta velocidade para a casa do
duque Pietro. Citrina lentamente encostou-se no forro de veludo
da carruagem com as malas ao lado. Ela estava sentada sozinha
olhando pela janela, observando enquanto o cenário mudava,
sua mente ficava um pouco mais clara.

‘Se Desian for impedido de se tornar um vilão, ele pode ser um
oficial gênio, um artesão ou um mágico.’

Mas se não tiver sucesso, a probabilidade de morrer aumentará,
pois Desian matará sem hesitar.

Ele e Elena não têm um bom relacionamento, então se ela falhar,
há uma chance maior de levantar uma bandeira da morte.

“Eu ainda tenho tempo. Eu vou ficar bem.”

Citrina estava a caminho para encontrar o vilão implacável. No
entanto, ela tinha um bom pressentimento de que as coisas iriam
dar certo.

 

Enquanto ela se lembrava da história original, a carruagem
estava parando e ela ouviu o chamado do cavaleiro:
“Chegamos!”

Citrina elegantemente saiu da carruagem com a bagagem nas
mãos, mostrando sua postura de perfeccionista.

Será que ela dominou a arte da sobrevivência? Em sua mente,
ela tinha a memória de Citrina Foluin e Kim Ju-yoen, então todo
o conhecimento do romance permaneceu. Ela endureceu o
coração e sentiu que tudo ficou mais fácil.

“Lady Citrina Foluin.”

Cumprimentou o homem de meia-idade com base no cabelo
grisalho de sua cabeça, enquanto ele fazia um gesto de honra
com a mão, “Bem-vinda à casa do duque”.

“Eu sou o mordomo desta residência. É um prazer conhecer
você.” Assim que ele pegou a bagagem que estava em suas
mãos, sentiu seu ombro ficar um pouco mais leve.

“Agora vou levá-la para a sala comunal*.” Ela sorriu levemente
enquanto o seguia.

É a estação em que a grama balança levemente e o vento
sopra. Já é final do verão.

Ela podia não ser capaz de voltar para sua família novamente
com sua escolha, mas ela não se arrependia de nada.

***

 

O edifício histórico da mansão do duque era elegante e
majestoso. Depois de passar pelo portão, eles cruzaram a ponte
incrustada de pérolas e chegaram à residência dos gêmeos.

“Já que você será amiga dos dois jovens mestres, você viverá
junto na residência externa em um quarto separado.”

Como era comum que nobres de alto escalão tivessem
subordinados e amigos que combinassem com a personalidade
de um aristocrata, era natural ter uma residência vazia reservada
para eles.

O mordomo estava explicando várias regras enquanto
caminhava à frente.

‘Eu já conheço as regras. O ponto principal é que isso não deve
incomodar o duque.’

Citrina continuou andando enquanto ouvia.

O caminho para o quarto na residência externa era largo e
colorido. Cinco homens adultos podiam andar lado a lado.

‘Onde o duque estaria residindo neste tipo de lugar?’

Citrina passeou sobre o chão de mármore enquanto olhava ao
redor.

‘É a diferença entre o Céu e a Terra com a residência do Barão
que está desmoronando completamente.’

Citrina passou pelo corredor, decorado de forma colorida com os
retratos do duque, lindas cerâmicas e vários artefatos. O
mordomo observava seu passo lento.

 

“Hm. Hm. Como você deve saber, a Srta. Citrina fará apenas o
papel de amiga dos dois jovens mestres”. Ele parou em frente a
uma porta branca com listras douradas.

“Sim. Compreendo. Lembro-me de todo o conteúdo do
contrato.”

“… Ah sim. Esta sala é onde a Srta. Citrina ficará.” Sua
admiração refletiu brevemente nos olhos do mordomo e passou
pela elegante porta pequena.

“Sua bagagem estará aqui logo depois que as empregadas
fizerem uma inspeção.”

“Sim. Quando posso encontrar os jovens mestres?”

O mordomo deu alguns passos sem responder e parou em outra
porta colorida.

“Estaria tudo bem para você se você os conhecesse agora?”

“Sim. Está tudo bem.”

“Então eu a apresentarei ao jovem mestre Aron primeiro. Como
você bem sabe, ele é o mais novo dos gêmeos.”

Em breve vou conhecer um dos Pietro, o protagonista masculino
da história original. Citrina relembrou brevemente o conteúdo do
romance.

O duque estava estranhamente obcecado por Desian. Ela
lembrou que ele costumava abusar e bater nele.

Talvez Citrina consiga encontrar Desian quando o duque ficar
fora por muito tempo.

 

Citrina logo concluiu e respondeu: “… Ok.”

“Então você pode entrar.”

Em resposta a ela, o mordomo abriu a porta pela metade e disse
em voz grave: “Conforme explicado no contrato, e vou lembrá-la
novamente, você deve cuidar dos jovens mestres. Quando você
quebra o contrato, você sabe o preço?”

“Eu sei. Eu estou ciente de tudo.” Citrina assentiu com uma
expressão relaxada.

Todas as palavras do mordomo foram atribuídas à ‘maldição’ de
Pietro de não se importar com cada movimento dos irmãos
gêmeos.

‘Não deveria me importar com o que o duque está fazendo, não
posso. Eu não tenho o poder de salvar a todos.’

Mesmo que o menino esteja sendo abusado bem na frente dela,
não é como se ela pudesse salvá-lo. Ela poderia até ser morta.

Não está em mim morrer ajudando os outros.

“Isso soa bem.”

‘Vamos conhecê-los primeiro para tornar as coisas mais fáceis.’

Citrina sacudiu as emoções complicadas em seu coração.

“Então, tenha um bom tempo.” Quando as palavras do mordomo
terminaram, a porta se abriu completamente.

Citrina Foliun entrou lentamente.

 

É hora de conhecer Ivan Pietro.

Quando Citrina entrou na sala comunal, o mordomo olhou para
ela uma última vez antes de fechar a porta.

[n/t: comunal – comum.]

*Baque*

Agora há apenas os dois restando na sala, Aron e ela.

É hora de obter um pouco do seu carinho.

*****