Início Post 1629-cap-15-capitulo-15

1629-cap-15-capitulo-15

Capítulo 15: Perseverança

Desta vez, Su Le não achou apropriado ir à casa de Wei

Chu de mãos vazias novamente, então ela trouxe algumas frutas
e lanches com ela antes de pegar um táxi para a área residencial
de Wei Chu.

Chegando à área residencial, os seguranças fizeram

apenas algumas perguntas a Su Le antes de deixá-la passar,
pois viram que ela carregava muitos itens com ela. Assim que
Su Le se afastou, um dos seguranças perguntou: “Você acha
que ela é namorada do CEO Wei?”

O outro segurança sênior bebeu um pouco de água antes

de responder vagarosamente: “Você está falando sobre o
homem jovem e bonito que nunca traz mulheres para casa,
aquele CEO Wei?”

O segurança mais jovem assentiu: “Há algum outro CEO

Wei morando nesta área residencial?”

O segurança mais velho acenou com a cabeça em

resposta, “Você se juntou a nós recentemente, então você não
sabe.” Ele, então, abaixou a voz: “Há outro chefe Wei que mora
aqui. Ele dirige uma fábrica de sapatos de couro, mora aqui. Ele
já passou dos quarenta, mas frequentemente traz mulheres
jovens para casa. Ouvi dizer que ele ainda está com a esposa
que o ajudou a começar seu negócio em sua cidade natal. Não
existem mais muitos homens como o jovem CEO Wei neste
mundo. Alguém que é rico e vive limpo.”

 

Su Le não sabia que Wei Chu já era conhecido como um

bom homem nessa área residencial. Carregando muitas bolsas,

 

Su Le estendeu a mão para apertar a campainha em uma porta
finamente esculpida. Um homem com um penteado elegante
abriu a porta e expôs um sorriso estranho ao vê-la.

“Você deve ser a Srta. Su. Meu sobrenome é Chen, você

pode me chamar de Chen Xu.” Chen Xu entusiasticamente
pegou as sacolas de Su Le. Quando eles entraram na sala de
estar, Chen Xu foi tão amigável que deixou Su Le um pouco
nervosa.

Seguindo-o para a sala de estar, Su Le viu três homens e

uma mulher já esperando lá dentro. Das quatro pessoas, Su Le
reconheceu três. Eles eram Cao Yu Dong, Liang Guang e Tang
Yao. Quanto à última pessoa, Su Le não sabia quem era.

“Su Le, venha, deixe-me apresentá-lo a você. Este é Chen

Liu Zhong, ele é amigo de infância de Wei Chu”, Tang Yao puxou
Su Le para se sentar ao lado dela. “Você não precisa se
preocupar com eles. Podemos apenas conversar entre nós.”

Su Le sorriu educadamente, “Irmã mais velha, não pensei

que você estaria aqui hoje.”

Wei Chu saiu da cozinha quando ouviu a voz de Su Le e

revelou um leve sorriso: “Su Le, você chegou?”

Os outros tremeram. Eles sempre souberam que a comida

de Wei Chu não era ruim, mas ter que prová-la era algo que só
acontecia uma vez na lua azul*. Até mesmo para aquele jovem
mestre fazer uma tigela de sopa era uma tarefa muito difícil de
pedir, mas nunca pensaram que finalmente conseguiriam provar
sua comida graças a uma mulher. Eles estavam se sentindo um
tanto complicados e, vendo Wei Chu sorrindo como se a
primavera tivesse chegado, seus sentimentos ficaram ainda
mais complicados.

 

[*Lua azul: é a expressão usada para designar a segunda lua cheia que ocorre
em um mesmo mês. Isso ocorre em intervalos de dois anos devido a diferença
no tempo de uma lua cheia até a próxima.]

A relação entre Liang Guang e Wei Chu não era

pessoalmente muito próxima, mas devido à sua identidade como
marido de Tang Yao, ele a acompanhou para uma refeição.
Quando ele viu a aparência de Su Le, seu humor tornou-se
ligeiramente complexo.

No mundo dos negócios, Wei Chu era visto como um jovem

e promissor homem de negócios, por isso era difícil para Liang
Guang compreender que tal homem estivesse disposto a ir tão
longe por uma mulher. Convidar amigos para uma refeição em
sua casa era apenas uma desculpa para evitar que ela se
sentisse estranha.

“Sênior Wei”, Su Le sorriu para Wei Chu. Ao ver que ele

estava entrando na cozinha novamente, ela sorriu para as
pessoas presentes na sala como uma saudação.

“É raro sentir o gosto da comida dele”, disse Tang Yao

enquanto pegava o controle remoto da TV para mudar de canal.
“Os pratos de Sichuan de Wei Chu são definitivamente bons,
pelo que ouvi há alguns anos…”

“Estou sem molho de soja. Alguém pode me ajudar a

comprar outra garrafa?” Wei Chu saiu da cozinha novamente e
olhou para Tang Yao, “Tang Yao, vá comprá-lo.”

“Wei Chu, você está intimidando uma mulher”, Tang Yao

ergueu as sobrancelhas. Estava claro que ela não queria se
mover.

 

 

Su Le olhou pela sala de estar e percebeu que todos os
presentes eram jovens de alto status. “Eu vou e compro.”

“Senhorita Su, eu irei em seu lugar. Afinal, estou bastante

familiarizado com essa área.” Chen Xu rapidamente se levantou
e falou com o homem encostado na porta da cozinha: “Lembre-
se de me reembolsar”, e rapidamente saiu de casa.

“Ele é muito enérgico,” Su Le ergueu os cantos dos lábios

e olhou para o resto novamente, que permaneceram calmos e
controlados. Levantando-se, Su Le foi até a cozinha para ajudar
Wei Chu porque ficar com aquelas pessoas na sala a faria se
sentir pressionada.

Vendo Su Le entrar na cozinha, Wei Chu falou: “Você pode

descansar lá fora. Estará pronto em breve. Tem um cheiro forte
aqui.”

“Não é nada”, Su Le tirou um avental do gancho e amarrou-

o na cintura. Ela então tirou o relógio e o colocou no bolso, antes
de ajudar Wei Chu a lavar os ingredientes. “No passado, eu
sempre ajudava minha mãe a lavar os legumes em casa, mas
ela sempre dizia que sou mais um obstáculo do que uma ajuda.”
Su Le lavou os vegetais folhosos enquanto dizia: “Eu planejava
originalmente ir para casa depois de me demitir, mas meu novo
emprego começa na próxima segunda-feira, então tenho que
esperar até os feriados nacionais para poder voltar e visitá-la.”

Wei Chu não disse mais a Su Le para deixar a cozinha,

pois sua visão caiu sobre os dedos esguios de Su Le. A
interação entre eles era como um casal, enquanto faziam uma
refeição e recebiam os convidados juntos. A canja na panela
liberava uma fragrância forte e doce, tornando a cozinha
aconchegante e confortável. Só faltou a discussão sobre a

 

participação nas tarefas domésticas. “Tia é definitivamente uma
boa mãe.”

Su Le tirou os vegetais com folhas da água e colocou-os

em uma cesta ao lado. Então ela se virou para Wei Chu e
respondeu: “Claro.”

Os dois sorriam um para o outro e transmitiam a sensação

de velhos amigos que se conheciam há muitos anos.

“Você gosta de pimentas fritas na frigideira?” Wei Chu

perguntou de repente enquanto preparava as pimentas.

Su Le assentiu e observou Wei Chu preparando as

pimentas enquanto colocava a carne na panela de pressão. Su
Le ficou profundamente comovida. “Quem quer que se case com
Sênior Wei no futuro certamente terá muita sorte.”

“A irmã júnior quer ser essa pessoa de sorte?” Wei Chu

perguntou enquanto sorria. O vapor liberado da panela de alta
pressão fez Su Le perder o olhar significativo de Wei Chu.

“Sênior Wei, brincar com sua irmã júnior é vergonhoso.” Su

Le encolheu os ombros e colocou as pimentas na tábua de
cortar. Sha. Sha. Alguns cortes e as pimentas foram picadas.
Cortando-os novamente, as pimentas rapidamente ficaram
ainda menores enquanto Su Le sorria: “Pimentas com ovo em
conserva têm um sabor muito bom.”

Correndo apressadamente para a cozinha com uma

garrafa de molho, Chen Xu parou na entrada. Ele ficou surpreso.
Seu chefe propôs e foi rejeitado?

O chefe foi rejeitado?!

 

Su Le viu Chen Xu e sorriu: “Você voltou bem a tempo.
Pimentas com ovo em conserva precisam de um pouco de molho
de soja.”

Chen Xu silenciosamente olhou para a expressão de seu

chefe, havia um sorriso sinistro em seu rosto. O tempo dele foi
muito ruim, ele realmente teve azar!

Wei Chu sorriu, “Bom momento. Você pode descascar

duas cebolas e cortá-las em fatias enquanto faz isso.”

Chen Xu tentou escapar. “Chefe, não há facas de corte

suficientes”, sua visão caiu sobre a faca na mão de Su Le.

“Não tem problema. As cebolas são muito fáceis de cortar.

Esta faca deve ficar perfeitamente bem”, Wei Chu entregou a
Chen Xu uma pequena faca de 25 cm. “Esta faca é muito afiada,
então tome seu tempo cortando-as. Não há pressa.”

Quando Chen Xu usou a faca pequena e cega para cortar

cebolas do tamanho de um punho, ele entendeu claramente um
princípio – qualquer coisa engraçada que acontece com o chefe
não deve ser vista, mesmo se vista, é preciso agir como se
nunca tivesse acontecido. Chen Xu usou os cotovelos para
enxugar as lágrimas e pensou amargamente que essas cebolas
realmente ardem!

 

Na sala de estar, Cao Yu Dong tocou o queixo enquanto

falava: “O tempo de hoje não está ruim.”

Chen Liu Zhong olhou para a cozinha e baixou a voz: “É

realmente Wei Chu…”

 

“Você definitivamente não teria pensado. Aquele que
nunca se interessou por mulheres desde a universidade seria
assim…” Cao Yu Dong suspirou enquanto balançava a cabeça,
“Isso é o destino, ah…”

Tang Yao, que estava comendo uma maçã, disse: “Su Le

não é ruim”.

“Ser capaz de fazer a jovem mais velha do Tang dizer ‘nada

mal’ não é realmente fácil”, Cao Yu Dong respondeu
alegremente. No fundo, ele estava pensando que seu bom
amigo, Wei Chu, não deveria perder a chance novamente.

 

Depois que todos os pratos estavam na mesa, era hora de

comer. Havia sete pessoas sentadas ao redor da mesa, e Su Le
estava sentada ao lado de Wei Chu. A atmosfera ao redor deles
era muito boa e Su Le não se sentiu estranha.

Tang Yao comeu peixe com óleo de pimenta enquanto

bebia Sprite: “Ainda é a comida de Sichuan que mais satisfaz”.

Liang Guang observou ao lado e suspirou

desamparadamente: “Não coma muito, caso contrário, seu
estômago vai doer novamente.” Enquanto Liang Guang falava,
ele colocou uma concha de canja de galinha na tigela de Tang
Yao.

Su Le observou os dois e abriu um pequeno sorriso. A

velocidade com que a comida saía dos pratos não diminuía em
nada e, embora seus modos à mesa fossem ótimos, a
velocidade estava um pouco alta demais.

 

 

“Onde você comprou essas garras de frango com pimenta
colhida? Tem um gosto realmente autêntico”, Su Le perguntou
surpresa depois de comer um.

“Ah, aquele prato, comecei a prepará-lo com antecedência.

Se você gostar, pode levar alguns de volta com você. Sobrou um
pouco mais.”

Originalmente, Tang Yao queria dizer que também queria

um pouco, mas depois de ouvir Wei Chu dizer a última frase, ela
imediatamente fechou a boca porque entendeu que ele havia
feito apenas um ‘pouco mais’ e era óbvio que ele não pretendia
dar-lhes algum.

Na verdade, quando a menina dos olhos está presente,

todos os outros são jogados de lado.

“Como posso fazer isso”, Su Le sorriu se desculpando.

“Não tenho um recipiente preparado.”

Todo mundo estava sem palavras. Isso foi realmente

‘apologético’?

[N/T: Apologético – que serve para justificar, alegar ou confirmar; que é
justificativo.]

Mas Tang Yao sentia que Su Le realmente tinha as

melhores virtudes de uma mulher. Coisas que ela deve levar, ela
não vai largar, mas quanto às coisas que ela não deve levar, ela
não aceita nem um pouquinho.

“Isso não é um problema. Eu tenho recipientes.” Então Wei

Chu moveu um prato de língua de pato cozida na frente de Su
Le: “Experimente um pouco de língua de pato cozida, não é ruim.

 

Eu, normalmente, compro em uma determinada loja de que
gosto.”

“Obrigada.”

Cao Yu Dong, que gostava de comer línguas de pato,

estava triste.

Terminada a refeição e com a cozinha arrumada, todos se

sentaram na sala conversando enquanto bebiam chá. Sua
atitude era tão despreocupada que eles não pareciam já fazer
parte do mercado de trabalho.

“Su Le, onde você mora agora fica bem longe de onde você

trabalha. Pode não ser conveniente para você viajar de um lado
para o outro”, disse Tang Yao, depois que soube onde Su Le
morava e trabalhava. Preocupada, Tang Yao continuou: “Que tal
conseguir um carro?”

“Não há problema. Eu planejava me mudar da casa da

minha amiga em breve e alugar um lugar por agora. Não há
pressa em comprar um apartamento.” Su Le sorriu: “Além disso,
ainda não dominei a direção”.

“Se você quiser alugar, posso ajudá-la a perguntar por aí.

Tenho um amigo que trabalha com imóveis”, Wei Chu bebeu um
pouco de chá. “Não dirigir é bom. Não é seguro dirigir sozinha
depois do trabalho.”

Su Le riu secamente, “Isso mesmo.” Ela nunca vai deixar

os outros saberem que ela é realmente uma assassina na
estrada quando ela dirige. Não é ela que não estará segura, são
as outras que não estarão seguras…

 

 

Nesse momento, Wei Chu recebeu alguns olhares
provocadores de seus amigos. Wei Chu não reagiu nem um
pouco e olhou para eles.

“Se você não se importa, eu tenho um lugar vazio por perto.

Fica perto do seu local de trabalho e o aluguel fica perto da sua
faixa de preço. Além disso, nosso local de trabalho é próximo um
do outro, então posso te dar uma carona quando houver tempo.”

“Como posso incomodar você.”

“Não é nada. Ainda estou cobrando aluguel, afinal. Se você

acha que está me incomodando, apenas me trate com uma
refeição quando estiver livre”, disse Wei Chu em resposta.

Ao perseguir uma garota, é preciso ser perseverante. Ele

tinha conseguido isso com sucesso.