Início Post 1675-cap-10-capitulo-10

1675-cap-10-capitulo-10

 

Capítulo 10:

Seus olhos alertas silenciosamente varreram os arredores,
tentando entender a situação, então, mais uma vez, seu olhar
caiu sobre a pessoa que estava à sua frente.

“Por que estou…”

Uma voz grave saiu dos lábios de Lakis quando ele
instintivamente abriu a boca. Mas ele se interrompeu com um
gemido baixo, incapaz de terminar sua frase. Parecia que era
difícil para ele falar agora por causa do ferimento em seu
pescoço.

Lakis ergueu a mão e sentiu as bandagens em volta do pescoço.
Depois, ele olhou para seu corpo, que estava igualmente envolto
em bandagens e seu olhar ficou lá por um tempo. Então ele
olhou para cima novamente e seus olhos azuis pareciam mais
calmos que o normal. Ele parecia ter percebido que Yuri o
tratara.

Vendo Lakis assim, Yuri abriu a boca.

“Não tenho certeza se você se lembra, mas você se
machucou e desmaiou na frente da minha casa duas noites
atrás. Então, eu trouxe você para dentro por agora e te
tratei.”

Talvez se fosse a heroína Anne-Marie, ela gentilmente explicaria
como foi a situação quando o descobriu e o progresso de seu
ferimento. Então ela ficaria ao lado dele e diria para ele ficar na
cama até que seus ferimentos melhorassem.

 

Mas Yuri não fez isso.

“Eu sei que você pode ter algumas perguntas, mas eu tenho
que ir trabalhar agora.”

Ela não sentia necessidade e, acima de tudo, o simples fato de
pensar em organizar as palavras em sua cabeça para explicar
para Lakis a incomodava.

“Uma pergunta rápida antes de eu sair. Tratei de seus
ferimentos da forma possível, mas não sou uma
especialista. Você gostaria que eu ligasse para alguém do
hospital?”

Mesmo assim, para o caso de que ele decidisse reclamar mais
tarde de que o tratamento era terrível, Yuri decidiu esclarecer
essa parte antes de prosseguir. Claro, se ele fosse o Lakis
Avalon que ela conhecia, não havia como ele dizer a ela para ir
em frente, mesmo que fosse da boca para fora.

“Você não precisa falar, você pode apenas usar sua cabeça
para responder.”

Seus olhos azuis simplesmente encararam Yuri e era impossível
saber o que ele estava pensando. Depois de olhar para ela
assim por um tempo, ele finalmente balançou a cabeça
ligeiramente.

Era exatamente como ela esperava. Como ela havia confirmado
isso, Yuri assentiu.

“Eu coloquei as coisas de que você poderia precisar na
mesa ao seu lado para que você possa usá-las como quiser
enquanto eu estiver fora. Se quiser dormir um pouco mais,

 

você pode. Se você quiser ir embora, pode fazer isso
também, por mim tudo bem.”

Sua última frase significava que ele poderia ir embora sem dizer
nada enquanto ela estivesse fora. Ela não se importava. À
primeira vista, era difícil dizer se ela estava sendo atenciosa,
negligente ou talvez até mesmo de sangue frio. Sua voz suave
parecia vazia e gentil. Então, aqueles que não a conheciam
ficariam confusos se seu tom de voz era doce ou frio.

Enquanto Yuri falava, Lakis permaneceu como estava,
simplesmente olhando para ela com um olhar difícil de
interpretar. Depois que ela terminou, Yuri realmente saiu de
casa, deixando para trás o olhar que a observava.

Honestamente falando, não era normal deixar alguém tão ferido,
sozinho em casa, e sair. E, claro, Yuri sabia disso. Mas há muito
tempo ela era uma pessoa que não via razão para seguir o bom
senso.

Yuri caminhou em direção à rua Blue Ferret, onde ficava o café.
Mas ela não foi direto para o café, em vez disso, ela entrou em
um beco isolado. Na verdade, ela não precisava sair de casa tão
cedo, mas ela se apressou esta manhã por causa do homem
que ela tinha deixado neste beco dois dias atrás. Para separar o
lixo, Yuri caminhou até o depósito de lixo.

* * *

A coleta de lixo na rua Ferret geralmente era feita uma vez por
semana, e aquele dia não era outro senão hoje. Felizmente, ela
se lembrava disso ou o homem que ela amarrou teria sido
encontrado por outra pessoa. Quando Yuri chegou ao lixão, ela
puxou a linha e acordou a pessoa enterrada lá dentro.

 

“Olá, bom dia.”

O homem que estava amarrado em rolos de fio branco parecia
ter recuperado a consciência fazia um tempo e, quando ouviu a
saudação plena de Yuri, estremeceu um pouco. Então,
novamente, dois dias se passaram, então era natural que ele
recuperasse a consciência.

“Desculpe, eu estava tão ocupada ontem que esqueci de vir
ver você.”

A voz de Yuri carecia de sentimentos enquanto ela se
desculpava.

“Mas é você quem está me seguindo desde alguns dias,
certo?”

Os olhos do homem pareciam gritar que ele queria dizer algo.

A primeira vez que Yuri sentiu uma sombra a seguindo foi há
uma semana. Mesmo quando estava na cafeteria, ela sentia um
olhar desconfiado de vez em quando, mas decidiu não fazer
nada até que o outro lado fizesse um movimento primeiro, então
ela agiu como uma balconista comum. Em primeiro lugar, havia
os lunáticos ocasionais que tentavam segui-la secretamente
para casa depois do café, então ela pensou que poderia ser o
caso novamente.

Faltavam cerca de trinta minutos para o coletor de lixo chegar.
Então Yuri removeu os fios que bloqueavam a boca do homem,
com a intenção de perguntar o motivo.

“Se você tem algo a dizer, vá em frente.”

Mas a resposta que Yuri queria não veio.

 

Huuk!

No momento seguinte, o homem lançou algo em Yuri pelos
lábios cerrados. No entanto, Yuri percebeu a coisa voando em
sua direção e casualmente a pegou com os dedos, apesar de
sua surpresa.

Vendo isso acontecer, os olhos do homem se arregalaram.

Ela inclinou a cabeça para o lado e seu cabelo escuro fluiu
suavemente com seu movimento. Os olhos vermelhos em seu
rosto bonito e inexpressivo alternavam entre a agulha em sua
mão e o rosto do homem.

“O que é isso agora?”

“Espera…!”

Enquanto ela murmurava de uma maneira entediada, ela se
moveu naturalmente e cravou a agulha no pescoço do homem.

Puk!

“Yooo… uu…”

O efeito foi aparente imediatamente. Era uma droga paralisante.
Era um pequeno truque.

Com sua curiosidade satisfeita, Yuri piscou os olhos
estupidamente.

“Bem, nenhuma pessoa normal sairia por aí com esse tipo
de coisa na boca.”

 

Algo sobre esta época a estava incomodando mais do que antes
e agora, parecia que o homem não era um perseguidor comum.
Mas o homem agora estava completamente paralisado,
incluindo a língua, então ele não podia dizer nada a Yuri.

Uma leve sede de sangue brilhou brevemente em seus olhos
enquanto seu belo rosto absorvia o sol brilhante da manhã.

‘… Deveria simplesmente matá-lo?’

Mas se esse homem era alguém que veio procurar Arachne,
então ela precisava descobrir de onde vinha o rastro. Já que ele
a estava seguindo há uma semana, ele definitivamente não
estava perseguindo Lakis Avalon.

Depois de tomar uma decisão, Yuri estendeu seu fio novamente
e amarrou todo o corpo do homem. Então, ela o tirou do depósito
de lixo e desta vez, ela realmente o colocou em um lugar secreto
onde ninguém o encontraria.

Era um dos lugares que ela olhou com antecedência quando se
mudou para cá, só para garantir. Mesmo que escondesse um
cadáver neste lugar, ele não seria encontrado tão cedo.

Esperando que a paralisia passasse pela noite, Yuri ajeitou o
vestido e se afastou do local. De alguma forma, o caminho para
o trabalho parecia muito longo hoje.

* * *

Slam.

Pouco depois que a mulher esguia desapareceu de sua vista,
Lakis ouviu o som da porta fechando. E então, ele foi deixado
sozinho na casa quase sombria e silenciosa.

 

Ele prendeu a respiração por um momento e ouviu os barulhos
do lado de fora, mas os passos da mulher realmente se
afastaram da porta.

‘… Ela realmente saiu assim? A dona da casa simplesmente
deixou um homem que ela nunca viu sozinho em sua casa…?’

Ele tentou entender a situação em que estava por um tempo.
Mas não importa o quanto ele pensasse sobre isso, a realidade
em que ele estava agora não era muito realista.

Ele voltou sua atenção para a variedade de coisas que estavam
na mesa ao lado dele. Tinha vários suprimentos médicos,
toalhas quentes, água para matar a sede e pão para
simplesmente encher o estômago.

Claro, era impossível para um paciente como Lakis comer algo
como pão.

Sua expressão ficou estranha ao se lembrar da mulher que disse
que precisava trabalhar e saiu de casa sem hesitar.

‘Como eu acordei em um lugar como este?’

Lakis recompôs sua mente ainda caótica e começou a repassar
com calma o processo que o levou à situação atual.

– Oi, Lakis.

Nesse momento, uma voz soou em sua cabeça, fazendo eco em
sua mente. No momento em que a ouviu, a realidade que parecia
flutuar no ar ganhou gravidade imediatamente e desceu ao chão.

– Você está vivo?

 

Os olhos azuis de Lakis se estreitaram.

Era uma voz que ele estava ouvindo novamente depois de
passar pela vida e pela morte, mas em vez de se sentir feliz, ele
se sentia muito mais cansado por isso.

Lakis deu uma resposta bastante insensível, como de costume.

‘Meus ouvidos estão doloridos. Se você quiser latir, faça isso
mais tarde.’

Era difícil para ele falar por causa do ferimento em seu pescoço,
mas como ele podia falar internamente com o alvo com quem
estava falando, não era um problema.

Insultos ecoaram na cabeça de Lakis por um tempo em resposta
às suas palavras cruéis.

– Isso é algo você deveria falar para alguém que está
preocupado?!

Talvez realmente tivesse ficado constantemente preocupado
enquanto ele estava inconsciente, pois sua voz estava mais alta
do que o normal.

Observações:

❖ Se você está se perguntando onde está a história de Yuri empurrando o

homem no depósito de lixo, está no capítulo 7.
❖ Os diálogos em voz alta estão em negrito e entre “ ”.
❖ Os pensamentos ou conversas por pensamento estão em itálico e entre ‘ ’.
❖ As falas em azul e negrito indicam a voz que fala com Lakis, uma nota no

inglês e no espanhol esclarecem que ela não tem um gênero específico,
portanto será tratada de forma neutra na medida do possível.