Início Post 976-cap-1-1

976-cap-1-1

Capítulo 1:
A donzela de batalha é uma retornada
Uma forte rajada de vento, acompanhada por neve, atingiu suas bochechas.
Era uma noite congelante, tanto seu sangue quanto seu cabelo grudaram em seu rosto.
Ainda assim, Jill de alguma forma conseguiu escalar as escadas e chegou ao topo da muralha. O outro lado revelava uma escuridão sem fim.
O sangramento que continuava a se espalhar de seu ombro direito não parecia parar, não importava o quanto ela o pressionasse. Mesmo após ela tentar usar sua magia de cura, era fútil. Algo estava impedindo sua magia. No entanto, ela não tinha tempo para descobrir a causa-
-Mesmo que magia fosse sua única escapatória.
Ela dificilmente sobreviveria se ela pulasse de lá.
“Lá está ela-! Jill Saber-!”
Independentemente disso, quando ela ouviu a voz do inimigo, seu corpo moveu-se em um reflexo. Pode ser porque ela estava acostumada a lutar no campo de batalha pelo bem de seu amado. Seu amado – também seu primeiro amor – de seis anos atrás, quando ela tinha dez anos.
Os soldados do castelo que se aproximavam estremeceram quando Jill chutou o pavimento e desembainhou sua bela espada que pendia em sua cintura.
Avançando – balançando – girando para um lado – cortando gloriosamente como se estivesse dançando – e finalmente; Ganhando, Jill tentava abrir um caminho através do sangue.
No entanto, ela estava em grande desvantagem numérica.
Até ontem, aqueles soldados eram amigos de Jill; e para Jill, cidadãos para serem protegidos.
-… Por quê?
Tal pensamento, junto com sua perda de sangue, fez com que sua espada explodisse para longe.
Por fim, Jill estava verdadeiramente cercada. As espadas e lanças dos soldados estavam apontadas para ela.
“Isso é o suficiente, Jill.”
Essa voz sacudiu todo o corpo de Jill.
Atrás dos soldados, um homem notável com uma aparência inadequada para ficar no muro apareceu. A cor de sua capa, a qual esvoaçava no forte vento de nevasca, era azul ultramarino.
Aquela era a cor que simbolizava os Deuses. Todos, exceto a família real do Reino de Kratos estavam proibidos de usá-la.
“Sua majestade Geraldo…”
Quando seu nome foi chamado, o príncipe deste reino levemente levantou seus óculos. Era dito que ele o usava para controlar seu poder mágico.
“Você é uma mulher que deveria ser a minha rainha, e ainda assim, você fugiu sem reconhecer seus pecados – você não tem vergonha? Eu não consigo nem imaginar o quão magoada Faelis deve ter estado quando ela ouviu isso… Eu simpatizo com ela.”
“-Como sempre, é sempre sobre os sentimentos de sua irmã.”
No campo de batalha, não se deve perder seu fôlego.
Geraldo encarou calmamente ela, que sem querer falava de sua antipatia.
“É apenas natural, não? Neste mundo, nada mais é mais importante do que a minha irmãzinha.”
Cale a boca, seu Siscon de merda-!
[T/N: Siscon é um complexo por irmãs, no sentido de incesto]
A razão pela qual ela não gritou isso não foi porque ela estava com medo de ser profana, mas porque ela estava horrorizada.
Bem, não importava se sua lista de crimes crescesse um pouco mais – depois de tudo, sua execução já havia sido decidida.
Mesmo sendo falsas acusações… –
-Não, havia um crime pelo qual ela admitiu fazê-lo.
Sim, “Esta culpada mulher não conseguiu compreender meu amor pela irmãzinha mais linda do mundo.”
Este príncipe loiro na sua frente era o noivo de Jill. A primeira vez que ela saiu de seu território foi quando ela tinha dez anos de idade. Ela compareceu à festa de 15 anos do Primeiro Príncipe – Geraldo De Kratos na Capital.
Em antecipação ao conflito com o Império Rave que fazia fronteira com o território de Saber, faria sentido que sua família quisesse aumentar o suporte político. Jill conseguia entender isso.
Mas, Geraldo era uma pessoa estrita, séria, responsável e respeitável – Seja com os outros, ou consigo mesmo.
Acima de tudo, ele tinha conhecimento da monstruosa magia de Jill e disse a ela que isso era necessário.
Mesmo que sua adolescência tenha sido diferente de garotas comuns; mesmo que ela continuasse sendo ridicularizada como uma mulher de coração frio, louca por batalha-
-Isso não importava, porque ela estava servindo um propósito para o Príncipe Geraldo.
Por causa de suas benções em batalha, ela começou a ser chamada de “Deusa da Guerra”. Quando ela tinha dezesseis anos, ela recebeu cartas de amor de garotas ao invés de garotos. ‘Isso não importa’ – ela pensou.
No entanto, a verdadeira identidade de Geraldo era a de um pervertido, o qual parecia demonstrar um tipo distorcido de amor com sua irmãzinha.
A amada irmã de geraldo, Princesa Faelis De Kratos, era uma doente menina que passou a maior parte de sua vida acamada. Ela dificilmente saia, e as vezes em que ela se encontrou com Jill podiam ser contadas nos dedos.
No entanto, era aparente em uma primeira vista, que ela era uma menina angelical que encantava a todos.
Esse todos incluía Geraldo. Ouvindo que a condição de sua irmã havia piorado, Geraldo não hesitou em dispensar Jill – mesmo quando era a festa de aniversário dela e seu aniversário de noivado.
Apesar disso, se ela fosse deixar sua insatisfação conhecida, todos iriam a desprezar. Até mesmo o próprio Geraldo iria a repreender severamente.
Ele também a enviou ao campo de batalha sem nem trocar uma despedida adequada.
Enquanto era confortada por um subordinado gentil, ela costumava refletir em sua mente fechada.
Ela não pensava que aquilo era normal – podia-se dizer que seu noivo estava a traindo com sua irmãzinha.
Não, estritamente falando, ele estava traindo-a comigo.
Desde o início, ele estava usando seu noivado como fachada para esconder seu amor proibido pela sua irmã mais nova.
Para ele, Jill era uma completa e absoluta piada.
Além disso, seus vários anos de amor também haviam finalmente se esgotado.
Ela só conseguia rir de tristeza e de frustração.
Ele é um bom irmão que pensa em sua pequena irmã… Só que ele é muito excessivo em fazê-lo.
Jill nunca imaginou que Geraldo pudesse ser tão cruel.
Primeiro, seu noivado foi quebrado. Isso foi de acordo ao seu desejo, e ele apenas disse desculpa.
Porém, isso não acabou ali –
– No outro dia, ela foi detida por alguma razão. Então, ela foi jogada na prisão. No próximo dia, o julgamento acabou. E finalmente sua execução foi decidida hoje.
A propósito, a execução seria amanhã.
Foi uma maneira rápida e perfeita de proteger a honra do príncipe e de sua irmãzinha.
Parece que Jill foi acusada de tentativa de envenenamento da Princesa Faelis por ciúmes. Princesa Faelis acusou a própria Jill em lágrimas, provavelmente por instruções de Geraldo.
Ele provavelmente preparou tudo em antecipação a este acontecimento.
Ela estava impressionada com a preparação de Geraldo. Ela também ficou impressionada por Faelis. Em retrospecto, ela provavelmente sentiu desprezo por eles. Agindo como uma donzela frágil, mas então no próximo segundo…
… Com tantas pessoas concordando tão rapidamente, ninguém de sua cidade natal ou seus subordinados, que estavam atualmente de férias, teriam tempo para se opor. A execução de Jill foi final.
Não. Estão todos em casa e os meus subordinados seguros?
“Que estranho. Como que você conseguiu sair da prisão? Todos os seus cachorrinhos já deveriam ter sido eliminados.”
Isso foi o pior. Ela estava preparada, mas parece que Geraldo tinha posto suas mãos em seus subordinados. A análise de Geraldo continuou a perseguir Jill.
“A família Saber não pode fazer isso, em outras palavras, deve ter sido o trabalho de um infiltrado…”
“Você não precisa se preocupar com um infiltrado. Eu simplesmente usei minha magia para escapar.”
“… É por isso que as pessoas da Família Saber são tão…”
Agora que ela pensou sobre isso, como que ela se apaixonou por um rosto tão estúpido?
“Se você tivesse escolhido com mais sabedoria, poderia ter recebido a honra de criar nossos filhos… Bem, talvez isso tenha sido para o melhor. Seria intolerável se alguém como você desse luz a filhos – porque eles, sem dúvida, cresceriam como idiotas musculosos com magia estupidamente potente. Tanto que eu não poderia nem começar a fantasiá-los como filhos de Faelis.”
Mesmo que fosse perdoada por Geraldo, esse era o futuro que a esperava.
Não havia espaço para entendimento. Seu amor por ele foi completamente destruído e foi substituído por aversão a si mesma. Ela gostaria de nunca mais pensar sobre isso novamente.
… Que ingênua sou, por ter admirado esse tipo de homem…
Esfaqueando o pavimento de pedra com sua espada, Jill desesperadamente se levantou-
-Eu tenho que sobreviver.
Sua experiência no campo de batalha a ensinou que humanos eventualmente irão morrer.
Talvez ela morresse, mas pelo menos não antes que este homem. Muito menos pelas suas mãos.